Consultores e Consultorias Organizacionais

image_pdf

Durante a transição dos séculos XIX e XX, surgem tanto nos Estados Unidos quanto na Inglaterra as primeiras consultorias organizacionais. Devido ao grande aumento na complexidade das indústrias principalmente nos Estados Unidos, começa a surgir a necessidade de profissionais especializados, como por exemplo, Engenheiros, Contadores e Advogados. Essa demanda seria então suprida pelos Consultores, profissionais com larga experiência em diversas companhias que ao adentrar nas indústrias poderiam vir a trazer consigo todo o conhecimento adquirido nas demais empresas em que passou, suprindo dessa forma as necessidades da empresa.

Com o crescente aumento na legislação fiscal e tributária, os profissionais detentores desse conhecimento, que até então eram chamados de guarda livros e que passaram a ser conhecidos como Contadores, passaram a desempenhar um papel fundamental dentro de uma empresa. Detentores do “Know-how” contábil, esses profissionais poderiam interpretar e ajustar a contabilidade de uma empresa de forma que fosse possível se recolher menos impostos, porém em conformidade com a lei. Essa classe de profissional passou a atuar também como consultores, e posteriormente, passaram a integrar grandes grupos de Consultoria.

Para defender interesses públicos e privados, se fazia necessário a presença de auditores independentes que verificassem a veracidade dos lançamentos e resultados contábeis, Esse fato motivou o crescimento e a proliferação das consultorias organizacionais.

Os bancos, para poder minimizar os riscos ao conceder créditos, necessitava realizar uma análise da eficiência tanto produtiva quanto financeira da empresa que solicitava o crédito, com isso tanto os bancos quanto o Governo identificou a necessidade de que esse importante trabalho fosse realizado por grupos de Consultores independentes e de idoneidade reconhecida. Esse foi mais um fator que contribuiu para o crescimento das consultorias, agora não mais constituídas apenas por Contadores e Advogados, como também por Engenheiros e outros profissionais ligados ao setor produtivo e de gerenciamento.

Um outro fator importante foi a utilização dos conhecimentos dos consultores pelo Governo Americano durante as ações de guerra, principalmente durante a segunda guerra mundial. Os consultores tiveram forte atuação não somente nas Forças Armadas Americanas, como também na indústria Civil durante os períodos de guerra.

A partir dos anos 80, o mundo voltou a atenção ao desenvolvimento da indústria Japonesa, principalmente no que dizia respeito à Qualidade e Produtividade da indústria Automobilística Japonesa. A partir daí, o ocidente passou a concentrar esforços para entender e aplicar os conceitos Japoneses tão bem sucedidos. Esse foi o início de um campo fértil para as Consultorias, auxiliando as empresas ocidentais a implementar conceitos como o 5S, Kaisen, Kanbam, Poka-Yoke, etc.

Junto com os conceitos orientais de Qualidade e Produtividade, vieram também as certificações, como por exemplo, a ISO9000, a TS e a TL. Com o aumento da complexidade que os sistemas de gestão impuseram, começou a surgir a crescente necessidade pela tecnologia da informação e dos computadores. Novamente as consultorias passaram a exercer papel fundamental nesse processo, principalmente como a disseminação das facilidades e do desempenho oferecido pelas ferramentas gerenciais como o MRP, MRPII, ERP, SAP, etc.

Os anos 90 iniciaram fortificando ainda mais as consultorias com seus “Gurus” e teorias como a Reengenharia e o Downsizing, outro fator fundamental foi o aumento da importância das ferramentas estatísticas para a qualidade e como coadjuvante no processo de gerenciamento empresarial. Nessa década, tanto a importância quanto o faturamento das consultorias aumentaram enormemente. Outros fatores que determinavam a necessidade da experiência e do conhecimento, aliada à imparcialidade dos consultores era a formulação de indicadores econômicos e financeiros de acreditação pública.

Dessa forma, a Consultoria organizacional atesta a sua importância e confirma o seu crescimento e fortalecimento ao longo das décadas, garantindo também a sua presença no futuro.

image_pdf

Alvaro Freitas

Graduado em Engenharia Elétrica pela Faculdade de Engenharia São Paulo, Especialista em Gestão da Produção pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar , Engenheiro da Qualidade pela Poli-USP e Especialista em Educação em Ambientes Virtuais pela Universidade Cruzeiro do Sul - UniCSul. Atuou por mais de 20 anos na indústria Automotiva e 10 anos na indústria de Telecomunicações. Autor de 3 livros relacionados a sistemas de gestão e educação online.

Website: http://academiaplatonica.com.br

1 Comment

  1. alan silva

    bem bacana, vejo a consultoria ,como uma luz no fim do túnel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.