ISO 9001:2008 – 5.6.1. Generalidades – Análise crítica pela direção

image_pdf

A ISO 9001:2008, no seu requisito 5.6.1 – Generalidades da Análise crítica pela direção, cobra da organização a realização de um planejamento para analisar criticamente o sistema de gestão da qualidade. Esse planejamento deve incluir:

  • Um agendamento das reuniões de análises críticas com a diretoria. Essas reuniões devem ocorrer pelo menos a cada ano, para demonstrar o comprometimento e o interesse da diretoria para com o sistema de gestão.
  • A previsão das informações que deverão ser levadas em pauta durante a reunião. A essas informações, chamamos de entradas, e são descritas no requisito 5.6.2 – Entradas para a análise crítica;
  • A previsão das saídas da reunião. Da mesma forma que as entradas, as saídas estão previstas em um item próprio, o 5.6.3 – Saídas da análise crítica.

O objetivo principal da reunião de análise crítica pela direção, é garantir que o sistema de gestão da qualidade mantenha a adequação, suficiência e eficácia. Para não deixar dúvidas, vamos novamente recorrer ao dicionário Aurélio para aclarar esses termos:

adequação

1.Ato de adequar(-se).

2.Correspondência exata; conformidade, identidade.

suficiência

1.Qualidade ou classificação de suficiente.

2.Aptidão bastante; habilidade, capacidade.

eficácia

1.Qualidade ou propriedade de eficaz; eficiência.

eficaz

1.Que produz o efeito desejado; que dá bom resultado.

Ou seja, a períodos programados, normalmente uma ou duas vezes ao ano, a direção deve participar de uma reunião para se por a par e garantir que o sistema de gestão da qualidade esteja conforme o que foi previamente planejado, possui capacidade para atender a política e os objetivos da qualidade e que produz os resultados planejados.

A ISO 9001:2008 diz ainda que a reunião de análise crítica pela direção deve considerar também:

  • avaliação de oportunidades de melhoria;
  • necessidades de mudanças no sistema de gestão da qualidade;
  • a política da qualidade e eventuais necessidades de revisão; e
  • os objetivos e metas da qualidade.

Essa reunião deve gerar uma ata com as decisões e os devidos planos de ação, que, juntamente com a pauta da reunião, devem ser devidamente arquivados e mantidos conforme reza o item 4.2.4 – Controle de registros da qualidade.

Veja o que a ISO 9001:2008 nos tem a dizer:

A Alta Direção deve analisar criticamente o sistema de gestão da qualidade da organização, a intervalos planejados, para assegurar sua contínua adequação, suficiência e eficácia. Essa análise crítica deve incluir a avaliação de oportunidades para melhoria e necessidade de mudanças no sistema de gestão da qualidade, incluindo a política da qualidade e os objetivos da qualidade.

Devem ser mantidos registros das análises críticas pela direção (ver 4.2.4).

image_pdf

Alvaro Freitas

Graduado em Engenharia Elétrica pela Faculdade de Engenharia São Paulo, Especialista em Gestão da Produção pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar , Engenheiro da Qualidade pela Poli-USP e Especialista em Educação em Ambientes Virtuais pela Universidade Cruzeiro do Sul - UniCSul. Atuou por mais de 20 anos na indústria Automotiva e 10 anos na indústria de Telecomunicações. Autor de 3 livros relacionados a sistemas de gestão e educação online.

Website: http://academiaplatonica.com.br

2 Comments

  1. Renato,
    A pergunta é excelente, porém, lamento dizer que o certificado de calibração por si só, não funciona como análise crítica. Explico:
    Imagine que você tenha uma escala que é usada para liberar um material com a seguinte especificação: comprimento 900mm mais ou menos 10mm. Com isso, você manda calibrar a sua escala e ela apresenta um erro de 1mm. Eu diria que essa escala está adequada ao uso. Eu fiz uma análise crítica usando o certificado de calibração e a tolerância necessária.
    Por outro lado, eu pego a mesma escala e passo a inspecionar peças com a seguinte especificação, comprimento de 7mm mais ou menos 0,02mm. Sem uma análise crítica bem feita, você poderia aceitar o certificado de calibração com um erro de 1mm. Isso faria você ter um erro maior do que a sua tolerância, ou seja, não serve apesar do certificado.
    Espero ter esclarecido, leia também (ISO 9001:2008 – 7.6. Controle de equipamento de monitoramento e medição)

    Um abraço,
    Alvaro Freitas

  2. Renato

    Bom dia, sou responsável pelos instrumentos de medição. Os instrumentos liberam produtos metalúrgicos tanto a quente e a frio, trabalhamos como: trena, micrômetro ( analógico e digital ) régua e Cunha em milímetro. Na auditoria foi questionado a análise crítica dos instrumentos, temos um laboratório de metrologia que libera certificado e a etiqueta. A questão é o certificado não funciona como análise crítica?
    Att,
    Renato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.