Artigos da tag: ABNT NBR ISO 9001:2008

image_pdf

3.2.14 Eficácia e 3.2.15 Eficiência

Afinal, qual é a diferença entre Eficiência e Eficácia? O dicionário Aurélio, 1977, p. 620, define Eficiência e Eficácia da seguinte forma: Eficiência. S.f. 1. Ação, força, virtude de produzir um efeito Eficácia. S.f. Qualidade ou propriedade de eficaz Eficaz. Adj. Que produz o efeito desejado;...

A Manutenção Preventiva na ISO-9001

Manutenção Preventiva é uma forma de se manter os maquinários, ferramentas e instalações de uma empresa sempre em bom estado. Enquanto que na manutenção corretiva os reparos são feitos somente depois que a máquina apresenta algum defeito, na manutenção preventiva, as trocas são realizadas de maneira planejada antes que qualquer problema seja percebido. Por exemplo: Um motorista que...

Implementar e manter um Sistema de Gestão da Qualidade baseado na norma ISO 9001

O processo de implementação é importante para alcançar os benefícios do sistema de gestão da qualidade (SGQ). A maioria dos usuários novos obterá retorno mensurável logo no início do processo. Para uma implementação bem sucedida de seus SGQ, estes sete passos são recomendados:    1. Envolver totalmente a Alta Direção Definir por que você quer implementar a ISO 9001 Definir a Missão, Visão e...

A Família ISO 9000

A norma ISO 9000 fornece os fundamentos e o vocabulário usado em todas as normas da família ISO 9000. A ISO 9000 favorece um claro entendimento dos elementos básicos do sistema de gestão da qualidade descrito nas normas ISO. Além disso, a ISO 9000 apresenta aos seus usuários os Oito Princípios da Gestão da Qualidade, da mesma forma que...

ISO 9001:2008 – 0.1. Generalidades – Introdução

A ISO 9001 propõe um sistema de gestão da qualidade baseado em uma série de princípios internacionalmente reconhecidos. Porém, como a intenção da ISO 9001 é poder ser aplicada a qualquer tipo de empresa, independente do seu porte, nacionalidade, tipo ou complexidade, essa norma não tem, em momento algum, a intenção de uniformizar a estrutura do sistema de gestão,...

ISO 9001:2008 – 0.2. Abordagem de processo

Apesar dos requisitos da ISO 9001 propriamente ditos só começarem no item 4 da norma, o item 0.2 – Abordagem de processo, é uma exigência básica para a aplicação do sistema de gestão da qualidade. Portanto, a organização deve se dividir em células mínimas de gestão, que chamamos de processos. Esses processos devem ser identificados no manual da qualidade,...

ISO 9001:2008 – 0.3. Relação com a norma NBR ISO 9004

A norma ABNT NBR ISO 9004:2009 - Gestão para o sucesso sustentado de uma organização deve ser adquirida em conjunto com a ISO 9001, estudada e entendida da mesma forma que se faz com a ISO 9001. Pelo fato da ISO 9004 não ser certificável, ou seja, mesmo que uma empresa a adote na íntegra, ela não receberá um certificado...

ISO 9001:2008 – 0.4. Compatibilidade com outros sistemas de gestão

São muitas as vantagens em se ter um sistemas de gestão compatíveis com a ISO 9001. Entre as vantagens está o fato de um número muito grande de empresas já possuir um sistema de gestão da qualidade instalado e certificado. Com isso, a implantação de novos sistemas de gestão em conjunto com a ISO 9001, possibilita a criação de...

ISO 9001:2008 – 1. Objetivo

Antes de optar por implantar um sistema de gestão da qualidade em uma empresa, é importante que se tenham claros quais são os seus objetivos, principalmente se estivermos falando da ISO 9001. Vamos inicialmente entender do que se trata o termo “objetivo”. Veja como o dicionário Michaelis define isso: objetivo 1 Meta ou alvo que se quer atingir.

ISO 9001:2008 – 1.1. Generalidades – Objetivo

Qualidade é uma característica “aética”, eu sei que essa palavra não existe, então explicarei: Não ter qualidade não é crime nem pecado, nem mesmo podemos dizer que seja antiético. Vemos muitas empresas de sucesso que não tem qualidade. Quando se compra um produto pela metade do preço do concorrente, já esperamos que ele não tenha qualidade, e ainda assim...

ISO 9001:2008 – 1.2. Aplicação

Da forma com que a ISO 9001 foi concebida, ela democratiza o sistema de gestão da qualidade, pois, diferente de outros sistemas, onde só pode ser aplicado em determinados setores da indústria, a ISO 9001:2008 pode ser aplicada em qualquer tipo de empresa, independente do: seu tipo; seu tamanho; ou dos produtos ou serviços fornecidos. Porém, dependendo da empresa, alguns requisitos podem não...

ISO 9001:2008 – 2. Referência Normativa

A ISO 9001:2008 deixa clara a necessidade de se utilizar em conjunto com essa norma, a norma que traz os fundamentos e vocabulários referenciados a ela. A norma referenciada é a ABNT NBR ISO 9000 - Sistemas de gestão da qualidade - Fundamentos e vocabulário. Nos locais onde a norma faz referência datada a outra, como por exemplo: ISO 9000:

ISO 9001:2008 – 3. Termos e Definições

Como a família de normas relacionadas à ISO 9000 é bastante extensa, seria desperdício relacionar os termos e definições utilizados, em cada norma. Além do mais, uma revisão em um termo ou definição ocasionaria em uma necessidade de revisão de todas as normas. Pensando nisso, foi criada uma norma com os termos e definições mais usados pelas normas da família,...

ISO 9001:2008 – 4. Sistema de gestão da qualidade

Antes mesmo de iniciarmos o entendimento do sistema de gestão da qualidade preconizado pela ISO 9001, vamos entender o significado detalhado do termo. Consultando o dicionário Michaelis, encontramos os seguintes verbetes: sistema 10 Método, combinação de meios, de processos destinados a produzir certo resultado; plano. 15 Agrupamento de partes coordenadas, dependentes umas das outras, qualquer que...

ISO 9001:2008 – 4.1. Requisitos gerais – Sistema de gestão da qualidade

É a partir do requisito 4.1 – Requisitos gerais do Sistema de Gestão da Qualidade que a ISO 9001:2008 passa a ser auditada. Ou seja, quando um auditor for verificar a conformidade do sistema com a norma, eventuais não conformidades serão abertas a partir desse item. Tecnicamente, o item 4.1 possui um chamado para praticamente toda a norma e, posteriormente...

ISO 9001:2008 – 4.2. Requisitos de documentação

Antes de iniciarmos a interpretação do item 4.2 – Requisitos de documentação da ISO 9001:2008, vamos consultar o dicionário Michaelis para garantir a correta interpretação do item: requisito 1 Condição a que se deve satisfazer para que uma coisa fique legal e regular. 2 Exigência imprescindível para a consecução de certo fim. documentação 1...

ISO 9001:2008 – 4.2.1. Generalidades – Requisitos de documentação

Para que um sistema de gestão da qualidade possa ser considerado seguro e confiável, em primeiro lugar, as rotinas e as tarefas principais devem ser padronizadas. Imagine que uma telefonista atenda ao telefone de maneira diferente cada vez que ele toca. Não vou nem falar de baixa qualidade ou insatisfação. Vamos supor que um cliente importante comente que adorou...

ISO 9001:2008 – 4.2.2. Manual da qualidade

O Manual da Qualidade é um livro onde cada empresa demonstra aos seus clientes e às partes interessadas a forma com que ela gerencia o sistema como um todo. Imagine que se um cliente deseja saber mais sobre a sua empresa, para poder decidir se confia nela ou não, a princípio, ele irá conhecer a Política da Qualidade. Se...

ABNT NBR ISO 9001:2008 – Sumário

Saiba mais sobre a ABNT NBR ISO 9001:2008 - Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos   Implementar e manter um Sistema de Gestão da Qualidade baseado na norma ISO 9001 A Família ISO 9000

ISO 9001:2008 – 4.2.3. Controle de documentos

Um sistema de gestão da qualidade, por mais simples que seja, deve possuir diversos documentos. Os documentos possuem uma importante tarefa no sistema como um todo, são eles quem mantém os padrões definidos e estabelecem a regularidade com que os processos são executados. Imagine que uma empresa tenha um processo altamente eficaz. Em um determinado momento, os funcionários desse...

ISO 9001:2008 – 4.2.4. Controle de registros da qualidade

Antes de mais nada, temos que entender o significado da palavra registro. Para isso, vamos recorrer ao dicionário Michaelis: registro 1 Ato ou efeito de registrar. registrar 6 Marcar com regularidade (as observações meteorológicas; o consumo de água, de energia, de gás; o trabalho de uma máquina etc.). A princípio podemos concluir que registros são anotações...

ISO 9001:2008 – 5. Responsabilidade da direção

A ISO 9001:2008 cobra da direção das empresas que almejam ter um sistema de gestão da qualidade implantado, uma série de tarefas. O item 5 – Responsabilidade da direção e seus subitens narram cada uma das principais atividades. Basicamente, a ISO 9001:2008 solicita o comprometimento da direção através da comunicação com os colaboradores informando-os sobre a decisão sobre um sistema...

ISO 9001:2008 – 5.1. Comprometimento da direção

Mais importante do que a alta direção de uma empresa estar comprometida com o desenvolvimento, com a implementação e com a melhoria contínua do sistema de gestão da qualidade, é a organização poder evidenciar esse comprometimento. Imagine que a empresa seja daquelas que o funcionário mal conhece a direção. Vamos supor que a direção esteja altamente comprometida com o sistema...

ISO 9001:2008 – 5.2. Foco no cliente

Cada empresa pode decidir onde será dado o foco da sua administração. As formais mais comuns são: foco na empresa e foco no cliente. Uma organização administrada com foco na empresa tem como indicadores principais a lucratividade, a participação no mercado entre outros. Com essa mentalidade, a empresa decide sobre os requisitos do produto tendo em mente no que vai...

ISO 9001:2008 – 5.3. Política da qualidade

A Política da Qualidade descrita no item 5.3 da ISO 9001:2008, nada mais é do que uma carta, oficialmente constituída, e portanto, com validade legal, descrevendo a intenção da empresa em gerir seus processos, produtos e serviços com qualidade. Dentre as dúvidas que podem nos vir à mente está o significado da palavra “política”. Para elucidarmos isso, vamos recorrer ao...

ISO 9001:2008 – 5.4. Planejamento do sistema de gestão da qualidade

A ISO 9001:2008 no seu requisito 5.4 – Planejamento, deixa para a organização uma grande responsabilidade, o de planejar o sistema de gestão da qualidade como um todo. Antes de iniciarmos o assunto, vamos entender o significado da palavra planejamento. O Dicionário Michaelis diz o seguinte: planejamento 1 V planeamento. 2 Ato de projetar um trabalho,...

ISO 9001:2008 – 5.4.1. Objetivos da qualidade

Como parte do planejamento estratégico da empresa para atender aos requisitos do produto e cumprir a política da qualidade, a organização deve definir, para cada função e nos níveis pertinentes, os respectivos objetivos. O primeiro problema que deparamos é em dividir a responsabilidade da política da qualidade por cada função. Nem sempre essa tarefa é fácil. Vamos supor a função...

ISO 9001:2008 – 5.4.2. Planejamento do sistema de gestão da qualidade

Antes de dar-se início ao planejamento do sistema de gestão da qualidade, é fundamental que a organização já tenha cumprido duas importantes etapas: A definição dos requisitos do sistema de gestão da qualidade (4.1. Requisitos gerais - Sistema de gestão da qualidade) e A definição dos objetivos da qualidade (5.4.1. Objetivos da qualidade) O Planejamento do sistema de gestão da qualidade deve...

ISO 9001:2008 – 5.5. Responsabilidade, autoridade e comunicaçao

O requisito 5.5 - Responsabilidade, autoridade e comunicação, da ISO 9001:2008, trata da responsabilidade que a direção de uma empresa, que trabalha com um sistema de gestão da qualidade tem em definir os seguintes itens: Responsabilidades: Dentro do sistema de gestão da qualidade, diversos processos são identificados. Para cada um desses processos, muitas tarefas são definidas para que os requisitos do...

ISO 9001:2008 – 5.5.1. Responsabilidade e autoridade

Uma das exigências do sistema de gestão da qualidade baseada na ISO 9001 é a divisão da empresa em processos. Esses processos devem prever cada etapa da realização do produto, dos processos relacionados ao sistema de gestão e de processos de apoio, como recursos humanos e manutenção. Cada um desses processos possui uma série de tarefas a serem realizadas,...

ISO 9001:2008 – 5.5.2. Representante da direção

Para representar a direção em assuntos relacionados ao sistema de gestão da qualidade, a direção da organização deve nomear um membro da administração. Esse membro nomeado será chamado de Representante da Direção ou RD. Algumas empresas usam o termo RA – Representante da Alta Direção. O RD não precisa ser um membro da direção, mesmo porque, se assim o fosse,...

ISO 9001:2008 – 5.5.3. Comunicação interna

O sucesso de uma organização, cuja gestão é embasada na qualidade, depende de cada um dos seus colaboradores. Sabendo isso, a ISO 9001:2008 no seu requisito 5.5.3 – Comunicação interna, solicita que a organização estabeleça um processo de comunicação eficiente. Para deixar claro do que se trata, vamos recorrer ao dicionário Aurélio: comunicação 1.Ato ou efeito de...

ISO 9001:2008 – 5.6. Análise crítica pela direção

Compete a direção da empresa, fazer uma análise crítica tanto do sistema de gestão da qualidade quanto da adequação dos produtos aos requisitos do cliente. Para entendermos bem o conceito de análise crítica, vamos recorrer ao dicionário Aurélio para esclarecer alguns pontos importantes: análise 1.Ato ou efeito de analisar. 2.Separação ou desagregação das diversas partes constituintes...

ISO 9001:2008 – 5.6.1. Generalidades – Análise crítica pela direção

A ISO 9001:2008, no seu requisito 5.6.1 – Generalidades da Análise crítica pela direção, cobra da organização a realização de um planejamento para analisar criticamente o sistema de gestão da qualidade. Esse planejamento deve incluir: Um agendamento das reuniões de análises críticas com a diretoria. Essas reuniões devem ocorrer pelo menos a cada ano, para demonstrar o comprometimento e o...

ISO 9001:2008 – 5.6.2. Entradas para a análise crítica

Previamente à reunião de análise crítica propriamente dita, o comitê formado pela organização e liderado pelo RD – Representante da Direção, deve coletar algumas informações, para apresentar de maneira clara e ordenada à diretoria no momento da reunião. A essas informações, a ISO 9001 chama de entradas para a análise crítica. Deve obrigatoriamente ser considerado como entrada para análise crítica...

ISO 9001:2008 – 5.6.3. Saídas da análise crítica

A ISO 9001:2008 no seu requisito 5.6.3 - Saídas da análise crítica, solicita da organização que mantenha em arquivo os resultados obtidos durante a reunião. A esses resultados, a ISO 9001 chama de saídas da análise crítica. Dentre as possíveis saídas, são consideradas obrigatórias as seguintes: Decisões e ações de melhoria da eficácia do sistema de gestão da qualidade; Decisões e...

ISO 9001:2008 – 6. Gestão de recursos

Vamos recorrer aos especialistas para entender melhor do que se trata o requisito 6 – Gestão de recursos, da ISO 9001:2008. Procurando no dicionário Michaelis encontramos o seguinte: recurso 3 Aquilo de que se lança mão para vencer uma dificuldade ou um embaraço. 4 Meio apropriado para chegar a um fim difícil de ser alcançado.

ISO 9001:2008 – 6.1. Provisão de recursos

Para deixar claro o item 6.1 – Provisão de recursos da ISO 9001:2008, vamos esclarecer o significado de “provisão de recursos”. No dicionário Michaelis, encontramos o seguinte: provisão 1 Ato ou efeito de prover. 2 Abastecimento de coisas necessárias ou proveitosas. prover 1 Tomar providências a respeito de; dispor, ordenar, regular. 2 Abastecer,...

ISO 9001:2008 – 6.2. Recursos humanos

Nenhuma empresa consegue ser bem sucedida nem realizar produtos e prestar serviços com qualidade sem contar com um quadro de colaboradores competentes e bem treinados para cada uma das funções relacionadas ao atendimento aos requisitos do produto. A ISO 9001:2008 no requisito 6.2 – Recursos humanos, descreve como os recursos humanos de uma organização devem ser gerenciados para que a...

ISO 9001:2008 – 6.2.1. Recursos humanos – Generalidades

Antes de mais nada, vamos entender o significado de competência, que é a palavra chave desse importante requisito da ISO 9001:2008. O dicionário Michaelis define competência da seguinte forma: competência 2 Faculdade para apreciar e resolver qualquer assunto. 3 Aptidão, idoneidade. 4 Presunção de igualdade. Antônimo: incompetência. Já, a ISO 9000:2005 define competência da seguinte...

ISO 9001:2008 – 6.2.2. Competência, treinamento e conscientização

A gestão de competências deve prever uma série de etapas para garantir que cada um dos colaboradores que possam afetar o atendimento aos requisitos do produto tenha condições de desempenhar seu papel com a devida maestria. A ISO 9001:2008 no seu requisito 6.2.2 - Competência, treinamento e conscientização, exige o seguinte das organizações: Que determine, para cada função que afete a...

ISO 9001:2008 – 6.3. Infra-estrutura

Antes de iniciarmos o assunto, vamos consultar o significado da palavra infra-estrutura ou infraestrutura, segundo a nova ortografia. No Dicionário Michaelis encontramos: infra-estrutura sf (infra+estrutura) 1 Parte inferior de uma estrutura. 2 Sociol Segundo o marxismo, divisão da sociedade em forças produtivas (homem e material necessário à produção) e relações de produção (classes, instituições etc.). 3 Econ polít...

ISO 9001:2008 – 6.4. Ambiente de trabalho

Para entendermos melhor o conceito de ambiente de trabalho em uma organização, primeiro vamos entender o significado de ambiente. No dicionário Michaelis, encontramos o seguinte: Ambiente 1 Que envolve os corpos por todos os lados. 2 Aplica-se ao ar que nos rodeia, ou ao meio em que vive cada um. 1 O ar que respiramos...

ISO 9001:2008 – 7. Realização do produto

A ISO 9001:2008 no seu item 7 - Realização do produto, relaciona com detalhes cada fase da realização de um produto ou prestação de um serviço. Basicamente, ela se divide em seis grandes pares: Planejamento; Processos relacionados ao cliente; Projeto e desenvolvimento; Compras; Produção e prestação de serviço; Controle de equipamentos de monitoramento e medição. Cada um desses requisitos possui suas peculiaridades e exigências próprias, portanto,...

ISO 9001:2008 – 7.1. Planejamento da realização do produto

A organização deve planejar muito bem antes de iniciar uma produção. Esse planejamento deve ser adequado ao produto que está sendo feito e ao efeito que uma eventual falha pode acarretar para o usuário. Imagine que estejamos produzindo bolinhas de ping-pong. Qual a gravidade de uma falha na produção para o cliente final? Agora imagine que estejamos fabricando um marca-passos...

ISO 9001:2008 – 7.2. Processos relacionados ao cliente

A ISO 9001:2008 dedica o item 7.2 – Processos relacionados ao cliente, a tratar de todo o trâmite de informações e comunicação entre o cliente e a organização, no momento da venda dos produtos ou serviços e também nos processos chamados de pós-vendas. Entende-se por pós-vendas todo o serviço prestado após a confirmação da entrega do produto pelo cliente. Nesse...

ISO 9001:2008 – 7.2.1. Determinação de requisitos relacionados ao produto

Muitas vezes, o cliente ao solicitar um produto ou serviço, especifica alguns detalhes, como quantidade, tipo de produto ou serviço e data desejada. A isso, chamamos de requisitos declarados. Porém, os requisitos declarados são apenas uma parte de todos os requisitos que uma organização deve considerar ao receber um pedido de compras. A ISO 9001:2008 no seu item 7.2.1 -...

ISO 9001:2008 – 7.2.3. Comunicação com o cliente

É fundamental para o sucesso de uma organização poder comunicar-se claramente com os seus clientes. O processo de comunicação não consiste apenas em enviar uma mensagem ao cliente, tão pouco ter um endereço de e-mail para reclamação, o processo de comunicação deve ser um envio de uma informação, o entendimento, por parte do receptor e a confirmação desse entendimento. Para...

ISO 9001:2008 – 7.3. Projeto e desenvolvimento

Antes de mais nada, devemos entender claramente o que significa “projeto e desenvolvimento”. Para isso, vamos recorrer ao dicionário Aurélio: projeto 1.Idéia que se forma de executar ou realizar algo, no futuro; plano, intento, desígnio. 2.Empreendimento a ser realizado dentro de determinado esquema: desenvolvimento

ISO 9001:2008 – 7.3.1. Planejamento do projeto e desenvolvimento

Como o projeto e desenvolvimento, geralmente, envolvem diversas áreas da organização, um bom início para o planejamento do projeto e desenvolvimento é a organização definir e gerenciar as interfaces entre os grupos envolvidos, de forma que o projeto e desenvolvimento possam decorrer de maneira harmoniosa, apesar das diferenças entre áreas e lideranças. A ISO 9001:2008 no seu item 7.3.1 -...

ISO 9001:2008 – 7.3.2. Entradas de projeto e desenvolvimento

A ISO 9001:2008 no item 7.3.2 – Entradas de projeto e desenvolvimento, define algumas entradas obrigatórias para o projeto e desenvolvimento. Entende-se, nesse caso, como entradas, todas as informações e documentos que devem fazer parte integrante do projeto e desenvolvimento. Essas entradas devem ser devidamente documentadas e anexadas ao processo, e deve haver evidências de que todas foram consideradas...

ISO 9001:2008 – 7.3.3. Saídas de projeto e desenvolvimento

Entende-se por saídas de projeto e desenvolvimento o fruto de todo o trabalho realizado pela equipe de projetos para atender ao que foi considerado nas entradas. As entradas, logicamente, devem ter sido previamente definidas, o item da ISO 9001:2008 que trata disso é o item 7.3.2. Entradas de projeto...

ISO 9001:2008 – 7.3.5. Verificação de projeto e desenvolvimento

Antes de se dar por concluído o projeto e desenvolvimento de um produto, software ou serviço, deve-se ter certeza do atendimento do projeto e desenvolvimento aos requisitos previamente determinados. No item 7.3.1 - Planejamento do projeto e desenvolvimento da ISO 9001:2008, é requerido que a organização defina e documente o...

ISO 9001:2008 – 7.3.7. Controle de alterações de projeto e desenvolvimento

Durante, ou até mesmo após a conclusão de um projeto ou de um desenvolvimento, podem ser identificadas oportunidades de melhoria daquilo que já foi realizado. Quando isso ocorre, a ISO 9001:2008 no item 7.3.7 – Controle de alterações de projeto e desenvolvimento, exige da organização que essas alterações sejam devidamente controladas. Buscando no Dicionário Aurélio, encontramos: controle 1.Ato,...

ISO 9001:2008 – 8. Medição, análise e melhoria

O capítulo 8 da ISO 9001:2008 é destinado a monitorar e medir o sistema de gestão da Qualidade, fornecendo dados para uma análise adequada e embasada em fatos confiáveis. Com essa análise, poder promover a melhoria contínua dos seus processos, produtos e serviços, levando à Satisfação do Cliente. A seguir, vemos a estrutura desse importante capítulo:

ISO 9001:2008 – 8.1. Generalidades de Medição, análise e melhoria

A ISO 9001:2008 no seu item 8.1 – Generalidades de medição, análise e melhoria, solicita da organização o planejamento e a correta implantação dos processos que assegurem as três principais etapas de um processo de melhoria sustentável, são eles: a medição; a análise do que foi medido; e a melhoria, baseada nas informações previamente coletadas e analisadas. Como resultado desse processo, a organização...

ISO 9001:2008 – 8.2. Monitoramento e medição

A ISO 9001:2008 no seu item 8.2 – Monitoramento e medição, exige que a organização mantenha um processo constante de monitoramento e quando necessário, medições de diversos pontos da organização. Os resultados desses monitoramentos e medições irão alimentar e retro-alimentar todo o sistema, fazendo com que a Direção e os Gestores, tenham...

ISO 9001:2008 – 8.2.1. Satisfação dos clientes

Para atender ao item 8.2.1 – Satisfação dos clientes, a organização deve monitorar não somente a satisfação, mas também a insatisfação do Cliente, pois, nem sempre se pode contar com a manifestação positiva ou negativa dos Clientes. Diversos são as ferramentas e mecanismos que a organização pode dispor para realizar esse monitoramento. O mais importante é...

ISO 9001:2008 – 8.2.2. Auditoria interna

A ISO9001 possui uma lista de requisitos para um sistema de gestão da qualidade. Do capítulo 4 até o capítulo 8, tudo que está escrito deve ser cumprido. Além disso, no item 7.1 - Planejamento da realização do produto, a organização deve fazer um plano para produzir e realizar...

ISO 9001:2008 – 8.2.3. Monitoramento e medição de processos

Para entendermos bem esse item, primeiramente devemos identificar o que a ISO chama de “Processos do Sistema de Gestão da Qualidade”. No item 4.1 – Requisitos Gerais, a ISO 9001:2008 começa solicitando que a organização identifique todos os processos relacionados ao sistema. Já no item 4.2.2 – Manual da Qualidade, a norma diz que os processos e as devidas...

ISO 9001:2008 – 8.2.4. Monitoramento e medição de produto

No item 7.1 - Planejamento da realização do produto a ISO 9001:2008 diz que a organização deve planejar a realização do produto tendo como base os seus requisitos. A norma fala também que deve ser planejada a: Verificação; Validação; Monitoramento; Medição; Inspeção; e Atividades de ensaio específicas...

ISO 9001:2008 – 8.3. Controle de produto não-conforme

Em várias etapas de qualquer processo, fazemos verificações. Essas verificações podem ser formais ou não. Uma inspeção feita pelo departamento da Qualidade é uma inspeção formal, assim como um teste de laboratório ou mesmo o processo de recebimento do nosso Cliente. Existem também as verificações informais, por exemplo, o empacotador, ele tem como função colocar o produto na embalagem,...

ISO 9001:2008 – 8.4. Análise de dados

Antes de iniciarmos a análise dos dados, a norma nos orienta a seguirmos alguns passos: Determinar os dados a serem analisados: No item 8.2, a norma diz que devemos medir: a Satisfação dos Clientes (8.2.1), o sistema, através de Auditoria Interna(8.2.2), os Processos, no que...

ISO 9001:2008 – 8.5. Melhoria

Foi-se o tempo em que uma empresa era concebida e permanecia inalterável por muitos anos. Nesse tempo, dizíamos que a empresa mantinha a tradição. Foi-se também o tempo em que um profissional fazia um curso e não voltava mais para a escola. Você compraria um computador dito “tradicional”, ou prefere um “moderno”? Hoje, as empresas precisam melhorar o tempo todo para...

ISO 9001:2008 – 8.5.1. Melhoria contínua

A ISO 9001:2008 no seu item 8.5.1 - Melhoria Contínua – diz que a organização deve melhorar continuamente a eficácia do sistema de gestão da qualidade. A primeira pergunta que paira é: Melhorar o que e como? Para poder dizer que melhoramos, devemos saber como estávamos e como ficamos. A única forma de fazer isso é medindo e registrando o...

ISO 9001:2008 – 8.5.2. Ação corretiva

Qualquer não conformidade identificada deve ser imediatamente tratada, e para isso, deve haver um processo bem definido. A ISO 9001:2008 exige que se tenha um documento definindo o processo de ação corretiva. As ações tomadas devem ser apropriadas à gravidade do problema, ou seja, não podemos dar a mesma prioridade, nem mesmo fazer o mesmo investimento para corrigir um problema...

ISO 9001:2008 – 8.5.3. Ação preventiva

Antes de mais nada, convém compreendermos o que é uma ação preventiva. Na concepção da palavra, ação preventiva é algo que fazemos para garantir que um problema em potencial nunca venha a ocorrer. Se um Cliente reclama que recebeu um armário faltando uma porta - Tarde demais! - o problema já aconteceu, sendo assim, a ação que devemos tomar é...
image_pdf